10.8.12

Um dia para o seu pai e você




Dê um abraço bem amigo no seu pai. E até um beijo, se sentir vontade. Menino que cresce também pode beijar o pai, por que não? Eu beijo o meu. O amor é unissex e beijoqueiro. 

Se você puder e precisar, peça perdão a seu pai. Todo mundo erra. Todo mundo tem o direito de recomeçar uma velha história de um jeito melhor. 

Perdoe o seu pai, se por acaso foi ele quem errou o caminho. Um coração de filho de verdade perdoaria. No fim, o que manda é o amor. O resto não importa. Perder tempo é uma bobagem. A vida pode ser longa, mas passa depressa, não percebeu? 

Se você é mais pai do seu pai do que ele deveria ser para você, aceite. Quando houver um curso para formação de pais, haverá também um para aperfeiçoar os filhos, outro para curar cegueira da alma, mais outro para confiar em Deus e outro e tantos outros... para deixar o mundo perfeito. Mas, se você for esperar por isso, talvez se canse.

Se você e seu pai já são ligados um no outro há tempos, joguem conversa fora. Saiam para rir à toa. Tão bom ser feliz ao se lembrar de quando a gente era criança e o pai era aquele gigante invencível, imbatível, um sujeito ideal. O meu, por exemplo, sabia tudo. Até hoje sabe. (Shhhiiii... fala baixo! Ele sabe mais ou menos, bem menos do que eu acreditava que soubesse. É que um dia a gente descobre que pai desconhece uma pilha de coisas. Por falar nisso, vale a pena despistar quando o pai der mancada. Isso também se chama amor, compaixão, respeito...) 

Hum... E se seu pai não estiver mais com você? Paciência. Feche os olhos e pense nele. Faça silêncio. Faça uma oração. Faça uma música. Deixe rolar uma lágrima refrescante. Agora, se ele estiver do seu lado, comemore, dê um sorriso; fale para ele: Pai, eu te amo! Tem gente que acha difícil falar que ama. Mas não é não. É mais fácil do que você imagina. Depois que você falar pela primeira vez, vai querer falar sempre, toda hora. Se não conseguir, escreva no cartão: Pai, eu te amo! Faz quase o mesmo efeito. Só não deixe esse sentimento em segredo. It's a sin.
...
pedro antônio de oliveira