18.4.15

Apenas mais uma de amor


Como pode alguém ficar no pensamento da gente por um dia inteiro? Eu não sei seu nome, de que música você gosta ou o que você faz quando caem as estrelas. Talvez você prefira a energia da manhã ou a calma da tarde. Ah, se eu fosse um investigador secreto... ficaria bem escondido, atrás de uma árvore, usando um disfarce, respirando devagarinho, esperando horas a fio, só para te seguir. Eu iria atrás de seus passos, descobrindo seus caminhos, desvendando sua história. Queria saber tanta coisa! De repente, tudo me interessa: qual o som da sua risada, se gosta de dançar, contar piadas ou se a leitura é seu forte. Pode ser que nem fale muito, que aprecie o silêncio, que a timidez seja sua principal característica. Se você aprendeu a decifrar olhares, terá visto como fiquei embaraçado quando se dirigiu a mim, falando qualquer coisa sobre o tal produto que eu procurava. Bobagem! Já havia encontrado algo melhor, o desassossego da sua presença, bem ali, na minha frente. Agora sei onde você fica. É naquela loja, daquela grande avenida, da cidade fria, aonde batem, disparados, milhares de corações parecidos com o meu.

pedro antônio de oliveira

2 comentários:

Jovem Jornalista disse...

Saudades dos seus textos. Você escreve muito bem!

http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

Pedro Antônio de Oliveira disse...

Oi, jovem jornalista!

Gosto muito de receber sua visita.Seu blog também é muito legal! Parabéns! Volte mais vezes. Um abração e ótima semana!

Pedro Antônio