29.12.10

Que o melhor sempre aconteça


A Talita quer namorar um astronauta; adora o céu e as estrelas.
O Fabinho não quer nunca mais ter espinhas.
O Pablo quer tirar carteira; já anda sem grana pra autoescola.
A Vanessa quer ficar um palito; trancou a boca desde o Natal.
A Tetê quer parar de gaguejar quando vê o Gu.
A Telminha quer pintar a casa de verde.
O Cadu quer estrear sua prancha lá onde a onda quebra.

Todo mundo tem um desejo ou vários.
Está todo mundo em busca da felicidade, mas a felicidade está onde você a coloca.
Feliz ano-novo!


pedro antônio de oliveira

22.12.10

Fé de moleque


Ele carrega seus sonhos por onde quer que navegue
Quando o mar fica bravo, quando o mar serena leve.

pedro antônio de oliveira

16.12.10

Príncipe insatisfeito


Tão pequeninos são os meus dias
Tão arredio e breve o tempo
Para tudo aquilo que me falta saber.

pedro antônio de oliveira

Algo se ilumina


Maior estrela de Natal giratória do mundo, na Alemanha

Ninguém jamais está sozinho, mesmo nos tempos de luta. Para alegrar os corações de crianças internadas em um hospital de Belo Horizonte, a Trupe Maria Farinha levou esperança e encantamento a elas, por meio de lindas histórias e cantigas.

 Clique aqui e veja.
                                           
                                                 pedro antônio de oliveira


“Todo mundo é um pedacinho do outro
Todo outro é um pedacinho do mundo
E todo mundo é um pedacinho de história
Toda história é um pedacinho de você!”

(Sandra Bittencourt - Trupe Maria Farinha)

19.9.10

Em tempos de promessas vãs


Quando discursam: é tudo lindo, tão perfeito
que a vida mais parece um shopping center.

pedro antônio de oliveira

15.9.10

Poder, sim


O querer é libertador,
renova suas forças contra a passividade que intimida e aprisiona.

pedro antônio de oliveira

14.9.10

Transparência


Queria ver refletido no espelho
exatamente o que guardam na alma.

pedro antônio de oliveira

Descobrir coisas novas



Quando eu era bem pequeno, adorava ler aquelas histórias curtinhas dos livros didáticos e que servem de tema para os exercícios (até hoje eu gosto!). E agora, anos mais tarde, tenho a alegria de ver meus próprios textos em obras de importantes educadores, como neste livro, "Português Linguagens - 5o ano", de William Cereja e Thereza Cochar, da Editora Saraiva/Atual. A crônica se chama "Pancada de meter medo" e foi originalmente publicada no meu primeiro livro, "Metade é verdade, o resto é invenção", da Editora Saraiva/Formato.

pedro antônio de oliveira

12.9.10

Alegre mania


Ela gasta horas da sua vida fazendo o que mais gosta.
Ela é tão sabida essa menina. Quer que todos repitam sua rima.

pedro antônio de oliveira

Saiba


Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudade, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

fernando pessoa

3.9.10

Puxão de orelha


De tempos em tempos, um querubim sopra coisas no meu ouvido. 
Ontem mesmo, ele pediu que eu só espalhasse pelo mundo o melhor de mim.  
Eu estou tentando.

pedro antônio de oliveira

24.8.10

Vaidade


Para tudo
Que agora ela foi longe demais!
Foi descolorir os cabelos
E quase terminou em preto e branco.

pedro antônio de oliveira

20.8.10

Provoca-ação


Você não me pegaaa...
Lá-lá-lá-lá-lá-lá!

pedro antônio de oliveira

O lado bom


Tudo azul
Completamente blue
Vou sorrindo, vou vivendo
Logo mais, vou no cinema
No escuro, eu choro
E adoro a cena.

(...)

Como é estranha a natureza
Morta dos que não têm dor
Como é estéril a certeza
De quem vive sem amor, sem amor.

"Completamente Blue" cazuza / george Israel / nilo roméro / rogério meanda

11.8.10

Um dia na vida


Quando um desejo se realiza, tudo fica mais fácil, principalmente viver. Mas não se engane. Outro sonho desponta no coração e começa a lutar, dia após dia, para também se tornar realidade. 

Foi assim com o Dr. Cícero Plínio Bittencourt, médico e titular de uma das cadeiras da Academia Mineira de Pediatria. Na noite do dia 7 de agosto, uma infinidade de amigos esteve na Associação Médica de Minas Gerais para prestigiar o lançamento de seu livro, "Um dia na vida - Crônicas & Cia", fruto de uma caminhada repleta de histórias. 

Eu me emocionei bastante com a homenagem proferida a ele pelos Mensageiros do Rei - um grupo de atores e músicos que transmitem uma mensagem poética, cantada e encenada - um belíssimo telegrama falado.

Sou muito grato ao Dr. Cícero, pois foi ele quem me auxiliou, sempre com atenção e carinho, nas revisões de conteúdo das matérias do meu primeiro emprego, depois de formado em jornalismo. Eu trabalhava numa assessoria de Comunicação ligada à área da saúde e ele, na diretoria, alguns andares acima do meu. Na época, tive a honra de ler os originais de seu livro antes da publicação, enquanto a gente conversava sobre esse nosso sonho de ser escritor.




"Um dia na vida - Crônicas & Cia"
, do pediatra e especialista em Saúde Pública, Cícero Plínio Bittencourt, brinda o leitor com narrações sobre os mais diversos assuntos. Na obra, o autor destaca fatos engraçados e intrigantes que vivenciou. A escrita, permeada de críticas, mostra um Brasil contraditório na saúde e na política. Acima de tudo, o livro fala de dor e de alegria, em situações reais, deixando para nós, entre outras reflexões, a certeza de que quase tudo passa tão rapidamente como um dia na vida.

pedro antônio de oliveira 

7.8.10

O meu pai

Não sei como ele consegue me levantar tão alto.


Ter aquela coragem e espantar o medo da gente.


E a maior força na hora de lutar contra tudo.


É por isso que vou ser igualzinho a ele quando eu crescer.


Feliz Dia dos Pais.

pedro antônio de oliveira 

1.8.10

Leitura em família



Sandra Bittencourt, pedagoga e especialista em Ensino Especial, Arte-Educação e Literatura Infantil e Juvenil, explica que ler em família, além de ser um momento de encontro e carinho, fortalecendo os laços afetivos entre pais e filhos, ajuda a desenvolver na criança o hábito da leitura. “Para brincar com as ilustrações ao folhear um livro e, mais à frente, descobrir as letras e as várias linguagens da imagem, do texto e da melodia da voz, não há idade específica para começar nem para terminar”, afirma.

Na avaliação de Sandra, é importante ler também para os adolescentes, contudo, sem didatismo, ou seja, sem a intenção de ensinar sobre algo específico. “As formas, os assuntos e as discussões serão diferentes, mas as possibilidades de aprimoramento das relações estarão presentes do mesmo modo.”

A educadora chama a atenção para a redescoberta das matrizes sonoras e sensoriais do indivíduo. “Todos nós trazemos referências do que nos marcou na infância, seja um som, a fala de algum parente ou mesmo uma sensação corporal”, destaca. “Dessa forma, a literatura possui função curativa, pois nos ajuda a entender aquilo que mudou profundamente nossa vida, apontando novos caminhos para uma existência mais feliz.”

É isso aí, Sandra, valeu pelas dicas! Qualquer dia, vou escrever sobre a Trupe Maria Farinha, um trabalho superlegal comandado por ela.

pedro antônio de oliveira

31.7.10

Férias

Queria ter andado de trem de ferro, mas a estação estava abandonada.



Então eu e Soninha seguimos para a praia, de bicicleta!


Ela ficou molhando os pés na espuma do mar e recolhendo conchinhas
com as quais fez um colar. Jura que vai arrasar na volta às aulas.


  Também devoramos livros bacanas e conhecemos a Fofa, nossa mais nova amiga.
Ela é campeã de natação e contou um monte de casos
das viagens que fez por aí.
Um beijo, Fofa! Nas próximas férias, venha nos fazer uma visita.

Fofa e eu.
(A foto da Soninha queimou. Há-há-há-há. Ham! Desculpa, Soninha.)

pedro antônio de oliveira

4.7.10

Toda tarde


Naquele tempo de poucos compromissos e muitos sonhos, eu adorava caminhar com a Wal. Mas aí percebi que, além de ela não conseguir ficar saradinha, eu ia desaparecendo dentro da camiseta e da bermuda. O mundo já era desigual.

pedro antônio de oliveira

26.6.10

De tanto ver


"Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos.
E vemos? Não, não vemos.
Uma criança vê o que o adulto não vê.
Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo."

otto lara resende


25.6.10

Coração mais coração




















Gostar de alguém é um dia de sol.
Gostar e ser gostado, tudo assim certinho,
um verão inteiro de sol pra sempre.

pedro antônio de oliveira

23.6.10

Tsc, tsc, tsc...

Quino, autor da personagem Mafalda, desiludido com o que diz respeito a valores e à educação, deixou impresso nos cartuns o seu sentimento.