4.12.08

Diário do menino com gel - Ele existe!


Queria tanto que fosse ele. Meu coração saltou aqui na boca! Ele existe, eu sei disso! Eu nunca tive uma gota assim de dúvida. É claro que não sou bobo nem nada de ficar acreditando nesse bando de impostores metidos a Papai Noel e que invadem a cidade nesta época do ano: barriga de mentira, saco de mentira, gargalhada de mentira! Tudo de mentira! O verdadeiro não fica por aí dando sopa, não! Ah, não fica mesmo! Ele tem mais o que fazer! Só deixa o Pólo Norte na noite de Natal e olhe lá!

Que era especial, isso era! Veio ao meu encontro andando bem devagar. Surgiu de um modo misterioso, que nem faria o genuíno senhor Noel. Me olhou com a intimidade de quem me conhecia há milênios. E se inclinou com dificuldade para falar bem baixinho no meu ouvido: “Oi, como vai você?” Levei um susto, mas um susto!... Depois perguntou (do jeitinho que o Papai Noel original perguntaria): “Neste Natal, você quer ganhar o quê?”

Uaaauuu!... Só podia ser ele mesmo! O autêntico! O próprio! O real! Foi direto ao assunto. Não ficou rodeando, me oferecendo balas e sorrisos, muito menos olhou pros meus pais primeiro, querendo agradar ou fingir cara boa. Dava a entender que estava com pressa, só precisava saber mesmo o que eu estava a fim de ganhar no Natal.

Na hora fiquei um pouco com vergonha de dizer ali, no meio do shopping, uma coisa assim tão íntima, tão confidencial... Ora, o presente que a gente quer ganhar só se fala pra mãe, pro pai e pro Papai Noel de verdade! E se não fosse ele? Achei melhor não arriscar! Só que acabei contando tudo sem ter certeza absoluta de sua identidade: “Uma bola de futebol e um disco do Balão Mágico”. Que raiva! Ai, que mico, que mico, que mico! Minha cara queimou! E se eu estivesse diante de mais um dos milhares de falsos Noéis que vivem abusando da confiança das pobres criancinhas iludidas?

Peraí!!!... Um detalhe me chamou a atenção! As luvas dele eram muito sujas! O verdadeiro Papai Noel jamais calçaria luvas tão encardidas (A menos que tivesse trocado os pneus do trenó!)! Decepção! “Ainda não foi dessa vez”, pensei! Será que, um dia, teria a sorte de estar diante do legítimo Noel?

Ele foi embora, depois de plantar uma pulga enorme e cabeluda atrás da minha orelha esquerda. Aquele Papai Noel duvidoso tinha tudo pra ser um Papai Noel cem por cento verdadeiro. Mas e as luvas? Alguém me explica se o bom velhinho pode ter umas luvas imundas daquelas? No Pólo Norte, por acaso faltam água e sabão?

Algumas explicações sobre as luvas sujas do Noel

1 – Já sei! Só o Papai Noel original cumprimentaria todos os meninos e todas as meninas do planeta. De tanto pegar nas mãos das crianças, ele ficou com as luvas imundas! Dúvida: se ele não sai de casa pra nada (somente na noite de Natal), como pode ter cumprimentado tanta gente?
2 – Talvez, se ele estivesse de luvas limpas, branquinhas, seria facilmente reconhecido pelas crianças e nem conseguiria andar livremente pelo shopping. Porque aí, sim, a molecada iria ter certeza de quem ele era. Ia ter gente demais pedindo autógrafo, foto, presente...
3 – O Papai Noel ainda não conhece aquele famoso ditado: “Uma mão lava a outra”.
4 – Nenhuma das alternativas acima.
5 – Todas as alternativas acima.
6 – Vou pensar (que agora me deu um nó na cabeça!). Hohohohohohohoho! (risada de Papai Noel)

PEDRO ANTÔNIO DE OLIVEIRA

6 comentários:

Soraia disse...

Olá...vim agradecer sua visita o meu fotoblog...e adorei este texto...realmente é curioso observar que hoje em dias as crianças não colocam tanta fé no Noel,mas mesmo asim conseguem presevar o lado fantasioso (ou consumista mesmo) do Natal...isso me faz lembrar a carta de um aluno que recebi quando estudava....há 14 anos atrás...e guardei comigo...é de um garoto carente que pedia ao Papai Noel uma mesa e comida na noite de Natal...sempre que falo nisso fico emocionada...porque tantos anos se passaram e o Natal ainda não mágico para todos..infelizmente...é uma fantasia que deixa à margem lihares de crianças e famílias carentes....me fez recordar...Enfim..volte sempre ao meu fotoblog...eu voltarei mais vezes..sempre e com certeza!

Mimirabolante disse...

Gostei muito do texto.....É tão bom acreditar no "verdadeiro "......e realmente , hj em dia temos menos Fé tbm.....é uma pena que o lindo do Natal esteja presente somente nas minorias......talvez quem sabe....sonhar ???acreditar ???imaginar ???sonhar ???? acreditar ???e começar , tudo outra vez ????

Cleide disse...

Oi, Pedro! Gostei muito do seu texto. Está cada dia mais difícil cultivar a fantasia entre crianças tão "racionais". Isso assusta. O mundo é muito real, precisamos de pulgas atrás da orelha e um segundo olhar para conseguir viver magicamente.
Obrigada por colocar meu blog na sua lista.
Bjão

Luiza Paes disse...

Pedro!
Olha, espero que você esteja certo e que um dia nós (e todo o resto do mundo!) falemos 'eu te amo', sem medo nem mágoa.
E, é verdade, eu sou bem sentimental. Mas isso você vê pelo meu blog, onde eu posso ser eu mesma. No dia-a-dia, eu sou mais um porto para barcos perdidos e não posso me dar ao luxo de eu mesma me perder.
Clarice Lispector é realmente incrível. Sou leitora ávida dela e sei frases de cor e salteado. (Não só frases dela, mas isso não vem ao caso..^^)
Diário do menino com gel é muito legal. Essa é outra história que vai entrar para a minha seleta e restrita coleção de favoritos.
Você é incrível! tenho orgulho em dizer: O Pedro? conehço sim...é meu amigo blogueiro. A gente troca comentários, já não sei há quanto tempo. Sabe o que é, é que ele já em conhece tão bem que o tempo que a gente troca comentários nem importa mais, é como se tivesse sido desde sempre. E, para mim, vai ser para sempre. È que ele já entrou na minha cabeça (porque as coisas do coração, eventualmente, vão para a cabeça. Mas nem tudo que é da cabeça vai pro coração. Então a cabeça é sempre mais completa).

Beijão da Lu Paes!

Luiza Paes disse...

Ai, Pedro! Que é isso? Será mesmo que eu estou escrevendo assim, cada vez melhor mesmo? Não sei...Eu admito que espero que sim!
Escrever faz parte de mim, um dia eu ainda publico um livro, que nem você!
Se não fosse você, Pedro, eu garanto que não escreveria metade dos textos que eu escrevo hoje...
Você é meu ídolo, de verdade. Se algum dia me perguntarem de que escritor eu gosto eu vou dizer: o Pedro. Depois vem a Clarice, Assis, Vínicius..e os outros.
Um beijo enorme de picolé de morango!

Lu Paes

Ed disse...

Simplesmente fantástico. Sabe o que v. fez? Fez com que a gente lesse e brincasse de descobrir o motivo das luvas sujas do Papai Noel. Então só pode sre: 1- v. escreve de uma forma cativante. 2-a criança que existe dentro de nós não morre. 3- Ambas as opções acima estão corretas. Qual é a resposta? :) Abração amigo. Continue nos brindando com este talento e este dom de escrever de uma forma que ultrapassa as idades.